Coach pode chorar na frente do Coachee?

Eu vou responder a pergunta da Camila Lunardi, ela perguntou assim: “Geronimo, se o Coachee me contar um acontecimento muito triste ou algo tão emocionante que me dê vontade de chorar, eu posso chorar? Ou eu guardo pra mim e economizo o choro naquela hora?”. Coach pode chorar na frente do Coachee? Bora falar disso!

Pergunta incrível e se liga, a pergunta é mais profunda do que possa parecer num primeiro momento, beleza?

Eu vou responder essa pergunta com base (1) nos meus atendimentos, eu sou Coach que atendo, na prática, e eu vou falar como eu faço.

E (2) tô imaginando que você levantou a mão no meio de uma formação comigo e me fez essa pergunta. Então eu vou responder (1) como Coach que atua e (2) como formador de Coaches.

Primeira coisa que você tem que entender: gente tem individualidade orgânica, eu sou diferente de você, você é diferente da sua vizinha, todos nós somos diferentes. Tem certo ou errado? Tem adequado então bora falar disso 🙂

No mundo moderno de hoje, cada vez mais os padrões são impostos. Antigamente, o meu padrão de comportamento era imposto muitas vezes pelo mundo em que eu vivia. O bairro, a faculdade, a escola, a cidade. Hoje não, um artista faz uma selfie com um cabelo todo diferentão lá no norte dos Estados Unidos, posta em uma rede social e no dia seguinte várias pessoas ao redor do mundo cortam o cabelo igual ao dele.

Cada vez mais a sociedade impõe o jeito de se vestir, o jeito de cortar o cabelo, o jeito de pensar, de se comportar. A forma como eu vejo o ego e a essência é assim: quanto mais o meu ego comanda, quanto mais o meu ego sente a necessidade de se adaptar a uma conformidade extremamente estabelecida, menos eu vivo a minha essência, menos eu sou eu mesmo.

Quanto mais eu me preocupo em chorar ou não chorar, me dá cliente ou me tira cliente, me ajuda ou prejudica? Quanto mais eu busco me comportar com base em um padrão de comportamento, menos eu vivo a minha essência e menos eu sou quem eu sou na verdade.

Você não é quem você é à toa. É sério… se liga, você não é quem você é à toa. Você não é luz, amor, força, vitória, guerreira, eu não sei o que você é, mas você não é quem você é, à toa!

Você é uma essência. E cada vez que a gente busca se moldar pra um padrão de comportamento que alguém impõe pra gente, nós deixamos de ser a nossa essência. Tamo junto até aqui? Agora vê… o mundo também não é dicotômico, não quer dizer que ou eu vivo minha essência ou eu vivo um padrão estabelecido.

Entre o 8 e o 80 existem 72 níveis, beleza? O que eu acredito verdadeiramente é que quanto mais você viver pela sua essência mais as pessoas que se conectam com a sua essência e vão estar na sua frente, vão procurar você.

Certa vez, eu fiz uma sessão de Coaching informal no carro. Estava levando uma pessoa muito querida pra mim no aeroporto e no caminho surgiu um assunto. E aí tá ligado que Coach que é Coach amigo, quando ouve um negócio, tum, bate o Coach ali e eu fui conversando com essa pessoa, conduzindo uma sessão de Coaching informal porém estruturada. Informal por que a gente não marcou, mas totalmente estruturada.

E no final, quando ela externou o resultado da sessão, eu verdadeiramente cai nas lágrimas. Isso significa o que? Que eu me conectei com a emoção dela, eu tive empatia com o que ela tava sentindo. Como eu tava vivendo o modo ‘eu essência’ e não o modo ‘eu adaptado’, o que aconteceu na prática é que eu pude ser eu mesmo naquele momento e eu chorei.

Tecnicamente como isso pode interferir? A Camila fez duas perguntas… são coisas totalmente diferentes. Ela quer saber se pode chorar por uma história triste ou por uma história emocionante.

A história triste a gente tem que ter um cuidado. Se a pessoa está em uma história triste e não está chorando, eu como Coach tenho que tomar cuidado pra não levar aquele Coachee pra um IDI (Índice de Domínio Interior) muito baixo.

Se ela já tá contando uma história triste e eu choro em cima da história triste dela, eu posso levar ela pra um IDI muito baixo e eu posso, naquele momento, ter uma dificuldade de trazer ela depois pra continuidade da sessão.

Nesse caso, não se trata de viver ‘eu essência’ ou ‘eu adaptado’, trata-se de você naquele momento, por técnica, não chorar naquele momento. Pode ser que seja positivo. Essa experiência de chorar por uma história muito triste eu não vivi, tá? Então é o que eu penso que eu faria nessa situação.

Então, sim, você pode chorar. Evite chorar pra você não aprofundar muito a dor do Coachee. É feeling, é sentimento na hora. Agora, de emoção… de felicidade, de coisa boa que tá acontecendo, já chorei de soluçar e até hoje as minhas experiências foram sempre positivas.

Aliás, você podia dizer aqui embaixo. Seu Coachee já chorou alguma vez? Bota aqui nos comentários… ou você já chorou alguma vez em uma sessão? Deixa aí como foi 🙂

11 Comentários

  1. Leonardo

    Sensacional a sua resposta acredito e creio que as suas respostas iram me ajudar muito nessa caminhada para ser um coach de excelência.
    Valeu Geronimo.
    COACH DE EXCELÊNCIA.

    Responder
  2. Margarete

    Ola! Bem apesar de nunca ter estudado coaching, (Nem mesmo terminei o ensino fundamental). Tenho algumas pessoas que me dar o prazer de viver esse meu sonho de ser coaching. O que converso com elas sao informacao que busco na Internet, esses dia fui conversar com o filho de uma amiga, ele esta no mundo das drogas e pelo que conversamos ele faz isso pra punir os pais e claro que agora ja esta viciado. Nao chorei pra ele ver, quando terminamos a conversa eu camalmente pedi que me levasse embora, chorei desesperadamente, parecia que todo aquele sofrimento era meu, essa foi uma experiencia incrivel, so serviu pra eu ter certeza que coaching e meu sonho. Obrigada pela chance de compartilhar esse meu sonho.

    Responder
  3. Camilla Lunardi

    Que emoção ter minha pergunta respondida, obrigada! E por incrível que pareça era justamente tudo que eu precisava ouvir, foi uma resposta e uma mini seção de coaching. Sensacional!!

    Responder

  4. Oi Geronimo tenho uma coty que chora frequentemente com intensidade. Deixo a chorar, fico atenta e disponível, depois peço fale o que tiver sentindo vontade e então trabalho com ela o foco proposto. Que acha desse procedimento?
    Grande abraço.
    Fazerepoderrr

    Responder
  5. Paulo César

    Realmente nessas horas é essencial ter uma inteligência emocional muito bem desenvolvida para dar o apoio necessário ao coachee, por mais que a história seja emocionante acho necessário segurar a emoção para não passar uma imagem fragilizada.

    Responder

  6. Se eu chorei, ou se o coachee já chorou em uma sessão ?
    Sim para os dois casos e em situações diferentes.
    O coachee já chorou pelo impacto da sessão….aí eu me emocionei também…
    O coachee já chorou contando uma situação triste que estava vivenciando – já aconteceu de eu quase chorar junto (ficar com os olhos marejados), e já aconteceu de eu ouvir sem chorar…

    Responder
  7. GISLAINE BALADORE VIEIRA

    Esse tema veio muito a calhar Geronimo, pois sou uma pessoa emotiva por natureza e para mim é extremamente difícil não “sentir a dor do outro” e tenho aprendido muito com meus coachees.
    Inclusive, semana passada, com uma coachee, ao final da sessão o feedback dela foi: Muito obrigada pela sessão de hoje e por você ter sido tão profissional e não ter se envolvido no meu caso, talvez se isso tivesse acontecido eu não confiaria tanto em mim.
    Sei que em outros momentos vou me emocionar, mas, naquele dia, senti que eu tinha que ser firme e que a coachee procurava e precisava de uma força maior.
    Assim como todas as sessões, foi muito gratificante.

    Responder
  8. Marcos Siqueira Moura

    Não sou um Coach como minha esposa que foi aluna do Gerônimo. Mas pratico o Mentoring a mais de 25 anos.
    Como Coachee, chorei varias vezes com minha querida Coach Yoshida. E ela comigo. E foi muito bom sabermos que estavamos juntos naquele momento. Que ela segurava simbolicamente a minha mão.
    Como Mentor já chorei junto pelo Mentorado, por mim, pela situação, pela conquista e por muito mais.
    Chorar é uma expressão de sentimento humano. É o produto do Afeto e na filosofia Spinozana, Afetar é transformar (que é exatamente isso que um Coach faz). Mas isso acontece sempre envolto em emoção. E quando ocorre a intensidade, ela pode vir em sorriso ou em lágrimas. O cuidado é exatamente o que o Gerônimo disse em se ter o cuidado em não mergulhar o Coachee ou Mentorado num redemoinho e afogá-lo naquela sessão.
    Como Coachee, dou valor àquele Coach que é verdadeiro(a) em sua essência, virtudes e valores. Sem máscaras e sem pudores.
    Obrigado Gerônimo por mais essa reafirmação de conhecimento.

    Responder
  9. Cláudio de Oliveira

    muito legal,emocionante ver os comentários e entender que precisamos viver a nossa individualidade na pratica, para gerarmos resultados extraordinários.

    Responder
  10. Paulo Japyassu

    Sim, já me emocionei com fedback positivo do coachee e com insights poderosos que tiveram; não me estrebuchei, apenas não reprimi meus olhos marejados. Quanto a coisas tristes, dei um lenço de papel para ele chorar, suspirei, esperei passar.

    Responder
  11. Sônia

    Fala coacheee. Parabéns pela brilhante resposta. Eu também já chorei, e não me arrependo porque foi um momento ímpar, e com certeza não viverei aquele momento mais uma vez. Lembro que foi no último dia de sessão que estava fazendo com minha coachee, naquele momento ela começou relatar quem ela era antes das sessões e que ela é hoje após as sessões. Foi lindo ouvir toda sua evolução e saber que a ajudei ir para um nível mais alto. E tenho certeza que se eu vier a viver mais um desses momentos chorarei sim.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.