O Coachee planejou mal a rota para a realização? E agora?

Eu vou responder a pergunta do Sérgio Rodrigues, ele disse assim “Geronimo, e quando o Coach percebe claramente que o Coachee está seguindo uma estratégia ou linha de ação errada que não vai levar para lugar nenhum, planejou mal a rota para a realização… qual a melhor forma de fazer o cliente retomar o curso sem julgar e sem colocar a mão na massa para o cliente?”

Vou responde essa pergunta de Coach para Coach, beleza? Às vezes acontece de estar em uma sessão de Coaching ai começa a preparar a rota de ação dele. Aí o cara vai prepara a rota de ação todinha dele ai você pensa assim “caraca cara, vai dar ruim isso ai parceiro”, eu não se se já aconteceu contigo, mas comigo já!

E aí agora eu preciso explicar algumas coisas antes de dar a resposta…

Primeiro o próprio Sério já falou… sem julgamento! O caminho que é bom para mim não necessariamente vai ser para outra pessoa. O meu caminho é o meu jeito de fazer aquilo não necessariamente o do cliente vai ser o mesmo que o meu.

Eu lembro claramente, e eu acho que quem me contar essa história foi a Márcia Belmiro, de um cliente que ela teve que o cara queria aprender inglês só que ele não sabia como aprender inglês, mas ele morava em São Paulo e a solução que o cara deu foi: contratar um motorista para dirigir o carro dele pra botar o professor de inglês dentro do carro durante o trânsito de São Paulo.

Pense num plano que ocara mirabolante que o cara inventou pra aprender inglês!!! E funcionou, pra ele 🙂 talvez pra mim não funcionasse. O primeiro passo então é estabelecer um ambiente de confiança com o seu Coachee, confiar no que ele está fazendo e confiar na capacidade dele.

Agora vamos para uma outra possibilidade… vou dar um exemplo: “eu quero passar em um concurso”. Ai o cara cria uma rota de ação, que pela minha experiência, eu percebo que está muito fora do normal, eu digo pra ele que tá ruim? Não!

Como Coach, nosso trabalho é perguntar, se eu sentir que é necessário, eu posso fazer uma ferramenta de perdas e ganhos… falar “cara, nesse caminho que você tá seguindo, vamos ver o que você ganha e o que você perde?”. E aí eu valido o que ele escolheu.

Outra opção que eu posso fazer é falar… “eu gosto muito que às vezes tenha mais de uma opção, me da um outro caminho sem ser esse caminho, qual seria um outro que você poderia ter?” E ele dá o outro, aí eu falo “me da um terceiro” aí ele dá o terceiro.

E você pergunta, “qual para o melhor pra você?” E ai ele decide que ainda é o primeiro! Tô te dando algumas opções. Lembra do seguinte, gente não é igual matemática que 1+1=2. Por isso é importante que você conheça o seu Coachee pra você entender as características dele, os valores e em cima disso você perceber, “será que ele tá traçando um caminho muito lento por conta de um valor master dele?”.

E o que faço em uma situação dessa é desafiar o Coachee “e se a gente fosse fazer uma coisa mais ousada, qual seria o caminho mais ousado?”

Mas voltando a pergunta do Sério… primeiro passo é não assumir que o cliente tomou a estratégia errada, é assumir que a estratégia é dele não necessariamente ser diferente da sua é errada.

Segundo ponto, você entende que deve dar errado por conta da sua experiência, desafia ele a avaliar aquele caminho olhando de fora ou desafia ele a te dar mais dois caminhos pra você ter e trabalhar com ele o que ele visualizar ser melhor.

E pra você continuar em EPP Coach, eu quero falar contigo sobre 3 perguntas poderosas que podem salvar sua sessão de Coaching ou podem até salvar o seu processo de Coaching, pode salvar seu casamento, seu relacionamento com o amigo, pai, filho, chefe, funcionário. São 3 perguntas extremamente poderosas que podem verdadeiramente salvar, no mínimo a sua sessão e talvez o processo de Coaching inteiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.