Posso COBRAR Tarefas de Coaching de Meu Cliente?

Faaaaaaaaala Coach!

Em um post anterior falamos sobre quantas tarefas o meu cliente pode ter no final de uma sessão. Hoje vamos responder essa outra pergunta da Aluani: “Sempre aprendi que não devemos cobrar do nosso coachee a tarefa… você já mencionou que pede pro coachee mandar a foto e já vi você mencionando que manda áudio pro coachee (como no vídeo da vida de merda , isso não é uma forma de cobrança?”

Mais uma bronca da Aluani, haha!

Afinal de contas, posso ou não posso cobrar o meu coachee?

É o seguinte: a melhor forma de você saber se o que você está fazendo é adequado ou não, é você ver se o seu coachee está tendo progresso. Se há progresso, provavelmente você está usando as técnicas adequadas.

Os 4 Tipos de Perfis Comportamentais

É importante entender também que as técnicas e formas de abordar os coachees muda de um para outro. Cada ser humano é único. Na nossa formação em Coach Criacional a gente fala muito disso, a gente lida com 4 tipos de coachees, com perfis de comportamento diferentes.

Tem coachee que é comunicador, tem coachee que é executor, tem coachee que é planejador e tem coachee que é analista. Então você precisa lidar com cada cliente de forma diferente.

O Princípio do Não Julgamento

Sobre cobrar tarefas de coaching ou não… uma coisa é eu pedir que meu coachee me diga se ele fez ou não fez uma tarefa. Outra coisa é eu cobrar se ele fez ou não. Eu, particularmente, não cobro. Até pelo princípio do não julgamento.

E existe outra parada aí. As pessoas tem ganhos secundários por não fazer. Por exemplo, ter atenção. Muitas pessoas recebem atenção dos outros porque não estão fazendo o que tinha que fazer. As vezes quando eu começo a cobrar, eu estou estimulando o ganho secundário do coachee. Daí ele continua não realizando as tarefas.

Entendi, Geronimo, mas e esse negócio de pedir pra mandar foto, ou pedir uma palavrinha? Como funciona isso?

A Ferramenta Smart No Coaching

É o seguinte. Eu brinco com meu coachee. Essa é uma forma dele estabelecer um marco entre fazer e não fazer. Lembra da ferramenta SMART? O T do Smart representa o princípio “time based” ou “timely”, ou seja, representa o princípio de tempo. Então o coachee tem que ter tempo para realizar uma tarefa. Eu estabeleço um tempo com ele. Só que mais importante que isso é estabelecer um elo de confiança com seu coachee. Você pode dizer, por exemplo: eu não quero que você me prove que você vai realizar essa tarefa no tempo combinado, eu confio em você, eu só quero saber.

Considerando o Perfil Comportamental do Coachee

Se eu estou lidando com um coachee comunicador, que gosta de conversar, eu falo “cara, eu sou um coach curioso! Não vou aguentar esperar até a próxima sessão pra você me mandar o raio do trem pra saber se você fez ou não fez!”

Se eu estou lidando com um coachee analista… o que eu vou fazer? Vou dizer pra ele: “cara, faz parte do método eu saber se você fez ou não antes pra eu preparar a próxima sessão com antecedência sabendo se você fez ou não”. Analista, planejador gosta mais do método.

Mas na verdade, o que eu estou em busca? Do comprometimento do coachee. Eu quero que ele tenha um marco! Para até aquela hora ele dizer se fez ou não fez a tarefa.

Então, oh!

RESUMINDO!

Posso cobrar tarefas de coaching do meu coachee? Na minha opinião, não. Mas eu posso estabelecer que o coachee me mande um feedback ao longo da semana avisando se realizou ou não a tarefa. Faz sentido pra você?

Massa!

Olha só! Se você tá precisando de ajuda pra viver de coaching, aprender a ter cliente pagante, agente tem um programa chamado Profissão Coach. Ele abre poucas vezes no ano.

Você pode entrar na lista de espera do PC clicando aqui.

Com o PC você aprende como sair do zero, ganhar confiança e lotar a sua agenda pra viver de coaching.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.